Grampo da PF pega assessora de Yeda falando com acusada

Escutas feitas pela Polícia Federal identificaram a assessora do governo gaúcho Walna Willarins Meneses como interlocutora de uma pessoa investigada na Operação Solidária, que apura possíveis fraudes em licitações. A informação foi divulgada ontem pelo jornal Zero Hora, que teve acesso a trechos do inquérito. Walna é uma das assessoras mais próximas da governadora Yeda Crusius (PSDB).Partes dos diálogos, gravados em julho de 2008, mostram conversa da assessora com Neide Bernardes, representante da Magna Engenharia, que afirma que não iria a um banco naquele dia. A assessora pergunta se "aquele lá numa conta seria complicado" e recebe "é" como resposta. Na sequência, pergunta: "Vou ter a tempo?" Neide responde: "Te ligo em seguidinha." Em meio às falas, Walna diz que "teria que ser dois separados" e "preciso só 20". Ao fim, Neide pergunta se deixa no mesmo lugar e a assessora responde "esse sim, e o outro do outro lado". No terceiro telefonema, Walna diz precisar de flores num arranjo só. "Tá bem", encerra a interlocutora.Segundo Zero Hora, analistas da Polícia Federal descreveram a situação como negociação de valores que teria sido feita por conversas cifradas. Ressalva, no entanto, que a negociação ainda não está esclarecida. O advogado da assessora, Norberto Flach, disse à imprensa que a PF fez interpretações especulativas e afirmou que sua cliente nunca tratou de recebimento de dinheiro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.