Gráfica do Senado pode perder autonomia financeira

Centro gráfico dependerá do aval do Senado para realizar compras e contratações

Caroline Pires, da Agência Estado

08 de abril de 2010 | 18h48

A Gráfica do Senado, conhecida como reduto do ex-diretor Agaciel Maia, deve perder a autonomia financeira e orçamentária, assim como a Secretaria Especial de Informática (Prodasen). A decisão foi tomada nesta quarta-feira, 7, pela Mesa Diretora do Senado, mas ainda precisa ser referendado pelo plenário da Casa.

 

Centro Gráfico e Prodasen não podem, a partir de aprovada a nova regra, fazer compras e contratações sem o aval dos respectivos diretores no Senado. Mas, a unificação dos dois órgãos à estrutura do Senado não significa corte de gastos, nem de pessoal. Todos os servidores foram absolvidos pela estrutura da Casa, e, os orçamentos serão unificados em uma conta única.

 

A imprensa já revelou que senadores usavam a gráfica para imprimir material de campanha. No ano passado, o Estado revelou que, através de um ato secreto, 82 estagiários foram efetivados, contrariando a Constituição.

Tudo o que sabemos sobre:
Gráfica do SenadoautonomiaProdasen

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.