Graça Foster será chamada para falar à CPI da Petrobrás

Graça Foster será chamada para falar à CPI da Petrobrás

Parlamentares querem ouvir nesta quinta-feira ex-presidente da estatal sobre denúncias de desvios na companhia

Daniel Carvalho, O Estado de S. Paulo

24 de março de 2015 | 10h08


Brasília - Os integrantes da CPI da Petrobrás pretendem marcar para a próxima quinta-feira, 26, o depoimento da ex-presidente da Petrobrás Graça Foster à comissão. A ideia é ouvi-la em substituição a Julio Faerman, representante da SBM Offshore no Brasil, que não foi localizado pela comissão. O pedido de convocação de Foster foi aprovado há cerca de um mês pelos deputados.

A oposição gostaria que a CPI convocasse o tesoureiro do PT, João Vaccari Neto, para falar nesta quinta, mas o requerimento dele ainda não foi aprovado. A votação ocorre nesta tarde, mas o convocado precisa ser informado com pelo menos 48 horas de antecedência, o que não seria possível. A CPI reúne-se, a partir das 14h30, para votar os pedidos de convocação de novos depoentes.

Graça já foi ouvida pela CPI mista da Petrobrás, integrada por deputados e senadores, que funcionou no ano passado. Relatório paralelo da oposição pediu o indiciamento da então presidente da estatal e de outras 59 pessoas. Ela deixou o cargo em fevereiro deste ano em razão do desgaste provocado pelas investigações da Operação Lava Jato, que apura denúncias de formação de cartel e de desvios envolvendo contratos da Petrobrás.

Na próxima semana, a CPI pretende ouvir o ex-gerente-geral da refinaria Abreu e Lima Glauco Legatti, que está em férias. O novo diretor de Gás e Energia da companhia, Hugo Repsold, deve ser ouvido em 7 de abril.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.