Governo volta a impedir que comissão convoque Palocci

O governo conseguiu impedir a votação na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFF) da Câmara dos Deputados de requerimento que convocaria o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, para explicar o aumento de seu patrimônio. A estratégia utilizada foi a de impedir a realização da reunião da comissão. A reunião foi cancelada às 14h36, quando apenas deputados do DEM e do PSDB haviam registrado presença. Para abrir a sessão, são necessárias as assinaturas de, no mínimo, dez integrantes.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

24 de maio de 2011 | 15h40

"Estão blindando Palocci. A sociedade, mais uma vez, ficou sem a explicação sobre o homem mais falado nos dias de hoje", afirmou o deputado Vanderlei Macris (PSDB-SP). Durante meia hora de espera, entre o horário previsto para o início e o cancelamento da reunião, seis deputados oposicionistas registraram presença. Nem mesmo o presidente da comissão, Sérgio Brito (PSC-BA), registrou presença.

O líder do DEM, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), afirmou que o presidente da comissão se comprometeu em colocar em votação o requerimento pedindo a convocação de Palocci na reunião de amanhã, às 10h. "A comissão não vai funcionar mais, enquanto o requerimento não for votado", afirmou ACM Neto.

O DEM apresentou o requerimento de convocação de Palocci na semana passada, quando o governo, na mesma operação de impedir a presença do ministro nas comissões, conseguiu o cancelamento da reunião.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.