Governo venezuelano leva comitiva brasileira de esquerda para se contrapor a Aécio

Entre os convidados pelo presidente Nicolás Maduro estão o senador petista Lindberg Farias (RJ), que declinou da oferta, o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, o escritor Fernando Morais, o ativista Pablo Capilé, dirigentes sindicais e profess

Pedro Venceslau, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2015 | 19h22

São Paulo - O governo da Venezuela convidou um delegação de políticos, intelectuais, blogueiros e ativistas brasileiros de esquerda para visitar o País e fazer um contraponto à comitiva liderada pelo senador Aécio Neves (PSDB-MG), que visitará líderes oposicionistas venezuelanos nesta quinta-feira. Entre os convidados pelo presidente Nicolás Maduro estão o senador petista Lindberg Farias (RJ), que declinou da oferta, o coordenador nacional do MST, João Pedro Stédile, o escritor Fernando Morais, o ativista Pablo Capilé, dirigentes sindicais e professores universitários. 

"Estamos aqui pra fazer este contraponto. O Aécio não tem moral pra falar de liberdade, muito menos de liberdade de imprensa, já que quando foi governador em Minas silenciou a imprensa e perseguiu jornalistas", diz Kerisson Lopes, presidente do Sindicato dos Jornalistas de Minas Gerais. Além do senador mineiro, que também é presidente nacional do PSDB, a comitiva oficial do Senado conta com alguns dos principais líderes de oposição ao governo Dilma Rousseff no Congresso, como Aloysio Nunes Ferreira (PSDB-SP), José Agripino (DEM-RN) e Ricardo Ferraço (PMDB-ES).

Tudo o que sabemos sobre:
VenezuelaAecio NevesPSDB

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.