Governo vai tirar CLT da urgência constitucional

O líder do governo no Senado, Arthur da Távola (RJ), confirmou hoje que, nos próximos dias, o governo enviará ao Senado um pedido para ser retirado da urgência constitucional o projeto que reformula a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).A retirada dessa urgência é importante para abrir as negociações, no Senado, em torno da proposta de emenda constitucional que prorroga a CPMF, assim que a votação da matéria for concluída na Câmara."Vamos começar a semana com isso resolvido para mostrar a disposição de negociar do governo", disse Távola, que hoje conversou com o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Arthur Virgílio, sobre a necessidade de o governo oficializar a retirada da urgência do projeto da CLT.Tanto a oposição quanto o PMDB desejam que essa matéria seja apreciada apenas depois das eleições.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.