Governo vai propor ministro-coordenador

O Brasil poderá experimentar um tipo de parlamentarismo que nunca foi adotado em nenhuma parte do mundo. A experiência mais próxima aconteceu no Peru.A intenção da Proposta de Emenda Constitucional do Parlamentarismo é criar a figura de um ministro-coordenador, com o status de superministro, para estabelecer um interlocução entre o Executivo e o Congresso Nacional.Esse superministro seria nomeado pelo próprio presidente da República e poderia ser destituído se não cumprisse as suas funções.De acordo com o relator da PEC, deputado Bonifácio de Andrada (PMDB-MG), o assunto deve estar pronto para ser votado no final de agosto.A idéia é aliviar um pouco a figura do presidente, que, de acordo com o deputado, tem uma agenda muito cheia para poder se preocupar com a micropolítica.O ministro-coordenador iria ao Congresso, de quinze em quinze dias, para expor as principais ações conduzidas pelo Palácio do Planalto e colher as idéias dos parlamentares.Bonifácio reuniu-se com o presidente Fernando Henrique na quarta-feira e garantiu que ele deu todo o apoio à iniciativa.De acordo com o parlamentar, o governo já teve uma figura que exercia, de maneira informal, esse papel de superministro: era o ex-ministro das Comunicações, Sérgio Motta, morto em 1998.Serjão, como também era conhecido, tinha o apelido de trator, pelo excelente relacionamento com os membros do Congresso Nacional.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.