Governo vai pedir desconto para obras nas estradas

O ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, confirmou que o governo federal vai pedir desconto "de pelo menos 10%", em relação à tabela oficial, às empreiteiras que farão as obras sem licitação da operação tapa-buracos em 7.400 quilômetros de rodovias federais. No total, o programa emergencial de recuperação das rodovias deverá restaurar cerca de 26.500 quilômetros de estradas federais em 25 Estados. Nascimento falou aos jornalistas ao sair do Ministério para o Palácio do Planalto, onde se reunirá com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dirigentes regionais do Dnit (Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes) para tratar do programa de recuperação das rodovias.CritériosO ministro confirmou que um dos critérios para escolha das empreiteiras que realizarão as obras do plano emergencial de recuperação de rodovias sem licitação será a proximidade física do local das obras."Daremos preferência às empresas mais próximas aos trechos para que os trabalhos comecem imediatamente", afirmou. Dos 26,5 mil quilômetros em que o governo realizará obras emergenciais, em cerca de 7,4 mil quilômetros, que estão em situação mais precária, será dispensada a licitação. Nascimento disse que a Petrobrás terá condições de fornecer o asfalto necessário à execução das obras. "Já tivemos uma reunião com a Petrobrás. Já há uma programação para o fornecimento", afirmou.EleitoreiroO ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, disse que "é bem provável" que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva visite alguns canteiros de obras incluídas no programa emergencial de recuperação de rodovias federais, que será iniciado na próxima segunda-feira. Nascimento disse que vai convidar o presidente para fazer visitas a obras do programa. Ele próprio pretende visitar obras em todos os 25 Estados abrangidos pelo programa. Já na próxima segunda-feira, Nascimento deverá inspecionar estradas em Goiás e no Distrito Federal. Na terça-feira, ele irá à Bahia e, na quarta-feira, a Minas Gerais. O ministro afirmou que as obras começarão em todos os Estados, mas destacou como prioritários alguns trechos de rodovias em Minas Gerais, principalmente nas BRs 040, 135, 265 e 267. Ele adiantou que, amanhã, será divulgada a relação completa das primeiras rodovias a serem recuperadas, Estado por Estado.Em respostas a críticas da oposição de que o programa emergencial é eleitoreiro, Nascimento disse que "a oposição esteve no governo e abandonou as estradas por 15 anos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.