Governo vai liberar R$ 1,7 bi para reforma agrária

O ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, informou há pouco que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva lhe assegurou que enviará ao Congresso projeto de suplementarção orçamentária, destinando R$ 1,7 bilhão para a continuidade do programa nacional de reforma agrária. Além desse dinheiro, está previsto no Orçamento Geral da União deste ano R$ 1,4 bilhão para reforma agrária, e desse valor apenas 14,9% (R$ 240 milhões) foram empenhados até agora. A promessa foi feita por Lula numa reunião encerrada no final da tarde no Palácio do Planalto, que contou também com a participação dos ministros-chefes da Casa Civil, José Dirceu, e da Secretaria Geral da Presidência, Luiz Dulci. Nessa reunião, o presidente reafirmou, segundo Rossetto, que vai manter os compromissos assumidos com os movimentos sociais. O dinheiro anunciado, segundo o ministro, será aplicado ao longo do ano. Rossetto não antecipou quanto será liberado em abril, para quando o Movimento dos Sem-Terra que anunciou uma onda de ocupações. Ele negou que o governo trabalhe pautado pelo MST, no que tange à reforma agrária. "O governo está empenhado em cumprir todos os itens do plano nacional de reforma agrária", assegurou. "Em hipótese alguma o governo está omisso ou parado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.