Governo unifica programas de jovens e reativa projeto Rondon

O ministro da Secretaria Geral da Presidência, Luiz Dulci, entrega até o final deste mês para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva um projeto de política integrada para a juventude. "Essa ação vai integrar as políticas para a juventude desenvolvidas por várias áreas do governo, pelo Congresso e pela sociedade civil", disse em entrevista à Agência Estado. Entre as iniciativas está a reativação do projeto Rondon. "Será um projeto totalmente novo, diferente do que era realizado no período autoritário", garante.A reativação do projeto Rondon foi proposta pela União Nacional dos Estudantes (UNE). O projeto original foi criado em 1967, no período militar, e durou até 1989 e tinha o objetivo de levar estudantes universitários e professores para as regiões carentes do País para a realização de trabalhos sociais. Nos 22 anos de existência, participaram mais de 350 mil alunos e 13 mil professores.Luiz Dulci destacou que o objetivo do novo projeto Rondon continuará sendo o de permitir uma integração maior dos estudantes com a realidade das regiões menos favorecidas do Brasil. "É importante que os jovens façam essa integração, levando seus conhecimentos e suas aptidões a outras regiões do País e, em contrapartida, assimilando novas culturas", disse. Na época em que foi lançado, o projeto Rondon era destinado a jovens universitários. "Quem sabe poderemos ampliá-lo para estudantes do 2º Grau (Ensino Médio)", informou.Segundo o ministro, o projeto para a juventude também vai priorizar ações na área do lazer. "Estudo comprovam que nos locais onde há lazer para os jovens, os índices de criminalidade são baixos", afirmou. Atualmente 18 áreas do governo têm ações voltadas para a juventude e o número de programas nesse segmento chega a 48. "Com a integração, temos certeza de que avançaremos muito nesse trabalho", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.