Governo trabalha para aprovar hoje prorrogação da DRU

O governo trabalha para aprovar hoje no Senado a prorrogação da Desvinculação das Receitas da União (DRU), em primeiro turno. A oposição não conseguiu reunir as 27 assinaturas necessárias para apresentar uma emenda ao texto principal, que obrigasse o retorno da matéria à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Essa manobra seria capaz de retardar a tramitação, jogando a votação da proposta para o dia 22, último dos trabalhos no Congresso, colocando em risco a continuidade da medida.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

08 de dezembro de 2011 | 16h47

O governo agiu rápido para retirar assinaturas da emenda da oposição: recuaram os senadores Paulo Davim (PV-RN), Garibaldi Alves (PMDB-RN) e Cristovam Buarque (PDT-DF). Se o governo concluir a votação em primeiro turno hoje, a meta é esgotar os trâmites regimentais até o próximo dia 20, caso a oposição não abra mão de nenhum prazo regimental. Se houver acordo, o prazo para votar a proposta em segundo turno pode ser reduzido para a próxima semana.

Neste momento, a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, acompanha de perto os trabalhos no plenário do Senado do gabinete da liderança do governo. O empenho para aprovar a DRU é tão grande que o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), reivindicou a posse da segunda suplente de Garibaldi Alves (PMDB-RN) - a senadora Ivonete Dantas (PMDB-RN), que foi empossada hoje. Garibaldi Alves - que havia assumido a cadeira de Rosalba Ciarlini (DEM), governadora do Rio Grande do Norte - está hospitalizado, para submeter-se a uma cirurgia de ponte de safena. Como o governo não pode abrir mão de nenhum voto, Renan convocou a segunda suplente, para garantir os votos do PMDB.

Tudo o que sabemos sobre:
CongressoDRUvotação

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.