Governo terá vantagem na Comissão de Orçamento

A manobra do PSDB, que assegurou a maior bancada da Câmara ao formalizar um bloco parlamentar com o PTB, evitou um grande transtorno para o governo nas eleições desta quarta-feira. Além de impedir que o PFL, que também formalizou um bloco com o PST, tivesse a preferência para escolher o presidente da principal comissão da Câmara - a de Constituição e Justiça - os tucanos evitaram que o partido do senador Antônio Carlos Magalhães tivesse a prerrogativa de indicar o relator da proposta orçamentária para 2002.De acordo com a alternância entre Câmara e Senado, a indicação do presidente e do relator da Comissão Mista de Orçamento cabe agora aos maiores partidos das duas Casas. O maior partido da Câmara indica o relator e o maior partido do Senado a presidência da Comissão. O PSDB já previa que o PFL pudesse formar um bloco e estava preparado até para uma manobra mais ousada.Caso o líder Inocêncio Oliveira (PFL) conseguisse uma aliança com o PPB, os tucanos tinham na manga assinaturas para formalizar um bloco com o PMDB. Esse bloco, que também teria a participação do PTB, ficaria com 325 deputados e teria a prerrogativa de indicar os presidentes das cinco principais comissões permanentes da Câmara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.