Governo terá que negociar reforma, diz Aleluia

O líder do PFL na Câmara, José Carlos Aleluia, disse hoje que o governo e o PT serão obrigados a negociar a proposta de reforma da Previdência, antes que ela chegue ao plenário da Câmara. O PFL quer retirar a taxação dos inativos, aumentar o teto do Judiciário nos Estados e proteger os aposentados e as pensões dos servidores. Aleluia disse que o governo pode construir na comissão especial uma maioria para vencer, "usando truculência" e trocando integrantes da base aliada na comissão que poderiam votar contra o governo. "Mas no plenário ele (governo) não poderá trocar 513 deputados. No máximo, substituir algum suplente, mandando de volta para a Câmara secretários e ministros com mandato", disse Aleluia. Com relação aos tumultos ocorridos ontem, na Câmara, com a manifestação de servidores e a ocupação do prédio pela Tropa de Choque, Aleluia disse que o PT está "provando do seu próprio veneno" e que a truculência e o despreparo do partido provocaram essa situação. "O grande culpado é o PT e o governo do presidente Lula, que sempre disseram que o País não precisava das reformas", disse. Para Aleluia houve "excesso de zelo" por parte da presidência da Câmara, ao chamar a Polícia Militar. "A Polícia devia ter feito a segurança do lado de fora. Para (a polícia) entrar no Congresso, tem de ser votado. Foi um erro, e isso vai ficar no currículo do PT". Veja as fotos do tumulto na Câmara

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.