Governo recorre a novas ameaças caso CPMF não passe

O governo recorreu hoje a um arsenal mais pesado de ameaças, caso a prorrogação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) não seja aprovada pelo Senado. De acordo com o ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, o Planalto decidiu operar com o objetivo de suspender no Congresso a votação do Orçamento da União para 2008, adiar o anúncio da nova política industrial e o envio da proposta de reforma tributária, além de não conceder mais nenhum reajuste salarial para o funcionalismo público federal. Só estarão assegurados os recursos para o Bolsa Família e os investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).Bernardo disse que o governo pedirá à Comissão Mista de Orçamento que suspenda a votação da proposta orçamentária até resolver a prorrogação da CPMF. Segundo ele, as reuniões continuarão ocorrendo para contar os prazos legais de tramitação, mas o Orçamento só será levado para votação pelo plenário do Congresso se a disputa pela contribuição estiver encerrada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.