Governo quer votar Lei de Informática mesmo sem acordo

A votação do projeto que prorroga a Lei de Informática e a reforma do Poder Judiciário, no plenário do Senado, estão dependendo fundamentalmente de quórum mínimo para as votações. Até por volta de 11h00, apenas 31 senadores haviam registrado presença no plenário, quando são necessários 41 senadores. O líder do governo, senador Aloizio Mercadante (PT-SP), disse que pretende encaminhar a votação da Lei de Informática caso haja presença suficiente. Embora não tenha havido acordo com a bancada amazonense, o governo pretende decidir no voto a questão da taxação dos monitores de computadores produzidos no sul do País e dos televisores produzidos na Zona Franca de Manaus. Embora os dois produtos tenham tratamento diferenciado, os amazonenses defendem que o tratamento seja o mesmo, já que os monitores de computadores estão sendo transformados como monitores de TV.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.