Governo quer relação harmônica com Forças Armadas, diz Lula

Em discurso de improviso na cerimônia de apresentação dos oficiais generais promovidos, no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse que a indicação de José Alencar para o Ministério da Defesa é a demonstração da relação que o governo quer ter com as Forças Armadas e a relação que se quer construir entre as três Forças e a sociedade brasileira. Lembrando um dos primeiros discursos que fez em cerimônia semelhante, Lula reiterou que gostaria que ao final do seu mandato não houvesse diferenciação entre militares e a sociedade civil e que pudessem estar todos irmanados, cada um cumprindo a sua função, mas com o objetivo de transformar o Brasil em um país cada vez mais competitivo e inserido no mundo globalizado. Lula afirmou que tem certeza que Alencar terá uma "relação exemplar" com os militares "sem abrir mão de um milímetro de sua autoridade". "Tenham certeza que vocês têm em Alencar não apenas um ministro da Defesa, que cumpre uma obrigação constitucional e que as Forças Armadas têm um ministro da Defesa que antes de tudo é a segunda pessoa hierarquicamente de maior representação no Brasil", comentou.Ao elogiar José Alencar, presente à cerimônia, Lula disse que o seu ministro da Defesa é um homem com história reconhecida e admirado por todos e que antes de tudo é um homem severo na exigência do cumprimento das suas obrigações, além de companheiro e leal, tanto das Forças Armadas como do povo. Antes de encerrar, Lula ressaltou que "se em algum momento da história alguém pensou em criar um Ministério da Defesa apenas para "inglês ver", a entrada de José Alencar no Ministério é para dizer que o Ministério da Defesa é para valer. "É um símbolo de integração de uma sociedade composta por religiosos e não religiosos, homens e mulheres, negros e brancos, militares e gente da sociedade civil, mas que todos, acima de tudo são brasileiros".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.