Governo quer reduzir em 75% morte no parto e pós-parto

O governo anunciou hoje que quer reduzir em 75% o número de mulheres que morrem durante o parto ou por complicações no pós-parto, até 2005. O ministro da Saúde, Humberto Costa, defendeu um pacto com as prefeituras municipais e uma grande mobilização da sociedade civil para atingir a meta. "É inadmissível que um grávida tenha de perambular um ou dois dias em busca de atendimento", criticou o ministro, durante cerimônia no Planalto em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.De acordo com dados do Ministério da Saúde, no Brasil, em cada 100 mil nascidos vivos, 74,5 mulheres morrem devido a complicações na gestação, no parto e no período pós-parto. Entre as causas das mortes, aparecem hipertensão, hemorragias, infecções e aborto. O padrão aceitável pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de 20 mortes maternas em 100 mil nascidos vivos.

Agencia Estado,

08 de março de 2004 | 19h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.