Governo quer reduzir CPMF de operação de crédito

O deputado Antonio Palocci (PT-SP) informou, na madrugada de ontem, que o governo vai reduzir ou eliminar a incidência da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) nas operações de crédito. ?O defeito verdadeiro da CPMF é a distorção que ela produz no crédito, principalmente nas operações de capital de giro das empresas. O governo vai corrigir isso?, disse. A CPMF eleva o custo financeiro dos empréstimos.Palocci não explicou como isso será feito, mas é provável que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva utilize uma medida provisória, depois da aprovação da proposta de emenda constitucional que prorroga a CPMF. A correção dessa distorção já tinha sido admitida pelo governo, na exposição de motivos da emenda. Durante as negociações do governo com os deputados, essa questão foi esquecida.As declarações de Palocci foram feitas minutos antes da votação da proposta que prorroga a CPMF até 2011, com alíquota de 0,38%, na comissão especial da Câmara. O substitutivo de Palocci, que foi o relator, terminou aprovado por 13 votos a 5, sem nenhuma alteração. Também foi aprovada a prorrogação até 2011 do mecanismo de desvinculação de 20% das receitas da União, conhecido como DRU. As informações são do O Estado de S.Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.