Governo quer manter plano de cortar R$20 bi do Orçamento

Decisão foi tomada durante coordenação política, que contou com a presença de Lula, vice e 6 ministros

Andréia Sadi, do estadao.com.br

29 de janeiro de 2008 | 17h48

O governo deve manter como plano o corte de R$ 20 bilhões no Orçamento 2008 para compensar as perdas causadas com o fim da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), em dezembro.   Segundo apurou o estadao.com.br, a decisão-discutida durante a coordenação política- não é definitiva e pode sofrer alterações caso algum parlamentar no Congresso apresente propostas. Desde o fim da CPMF, alguns líderes do governo haviam sugerido cortes menores do Orçamento.     O imposto arrecadaria cerca de R$40 bilhões aos cofres públicos. COm o fim do tributo, além do corte de R$20 bilhões no Orçamento, o governo quer arrecadar R$10 bilhões com aumento de impostos (como o IOF e o CSLL) e mais R$10 bilhões com expectativas do crescimento da economia.     Mantega abordou a crise americana, falou sobre as perspectivas para o Brasil, mas manteve o discurso de que o País está "mais preparado que nunca" para enfrentar qualquer situação.    A reunião contou com a presença do presidente  Luiz Inácio Lula da Silva, o vice-presidente José Alencar e seis ministros : Dilma Rousseff , da Casa Civil, José Múcio,  Relações Institucionais, Luiz Dulci Secretaria Geral da Presidência, Paulo Bernardo ,Planejamento, Guido Mantega ,Fazenda, Tarso Genro, Justiça, e Franklin Martins, Comunicação Social, e discutiu duas linhas: econômica e política.   Não foi divulgado se a polêmica envolvendo os gastos do cartão de crédito em compras pela ministra daPromoção da Igualdade Racial, Matilde Ribeiro, foi discutida durante a reunião.                    

Mais conteúdo sobre:
Orçamento 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.