Governo quer inundar de papéis CPI dos Cartões

A estratégia do governo na Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Cartões Corporativos para esta semana está definida. A idéia, segundo um líder aliado, é inundar a comissão de papéis. As primeiras 100 caixas já deverão ser entregues amanhã e referem-se a um único ministério, o do Planejamento, Orçamento e Gestão. Trata-se do levantamento da pasta dos gastos corporativos entre 1998 e 2007. O grande volume deve-se ao fato de que as informações sobre os cartões corporativos ainda não foram digitalizadas.O secretário-executivo do Planejamento, João Bernardo de Azevedo Bringel, está coordenando o levantamento de todos os dados sobre os cartões corporativos junto aos 37 ministérios, documentação requisitada pela CPI. Estão de fora deste levantamento a Presidência da República, a Polícia Federal (PF), a Receita Federal e a Agência Brasileira de Inteligência (Abin). Mantida a média do Ministério do Planejamento em volume de papel - 100 caixas -, serão no total 3.700 caixas a serem examinadas pela comissão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.