Governo quer dividir com vizinhos informações do Sivam

O ministro das Relações Exteriores, Celso Lafer, disse nesta quinta-feira que o governo tem interesse em dividir com países "vizinhos" as informações produzidas pelo Sistema de Vigilância da Amazônia (Sivam). "Desejamos compartilhar essas informações com nossos vizinhos", declarou ele, referindo-se especificamente à possibilidade de cooperação com o governo da Colômbia na luta contra o tráfico de drogas.Lafer chegou nesta quinta a Guaiaquil, Equador, onde acompanhará nesta sexta-feira e no sábado, o presidente Fernando Henrique Cardoso na 2ª Reunião de Presidentes da América do Sul. O ministro disse considerar natural que, a exemplo do Brasil, a Colômbia queira saber o que se passa em seu espaço aéreo.Portanto, havendo interesse das autoridades colombianas, o governo brasileiro poderá disponibilizar dados do Sivam. O chanceler evitou comentar a decisão do governo americano de financiar, no âmbito do Plano Colômbia, ações militares contra grupos guerrilheiros, como as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Originalmente o Plano Colômbia destinava-se a atacar só o narcotráfico."O governo da Colômbia tem a responsabilidade pela ordem pública. Não nos cabe qualquer comentário antes da manifestação do governo colombiano", disse Lafer. O ministro observou, porém, que o narcotráfico tem relação com os movimentos guerrilheiros no país vizinho.Ele disse que o assunto foi discutido no domingo, em Brasília, quando Fernando Henrique jantou com o presidente eleito da Colômbia, Álvaro Uribe. Apesar da violência ligada ao tráfico de drogas e à guerrilha no país vizinho, Lafer destacou que a América do Sul é uma "região de paz", em comparação com o Oriente Médio e a Ásia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.