Governo quer capacitar professores sobre uso de drogas

O governo quer incluir aulas sobre uso de drogas no currículo escolar e capacitar professores em todas as instituições de ensino do País.O assunto está sendo discutido entre a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) e o Ministério da Educação, que definirá em qual disciplina o programa será incluído.A proposta foi apresentada pelos participantes do II Fórum Nacional Antidrogas que terminou nesta quinta-feira, no Colégio Militar de Brasília.?As escolas terão de investir na capacitação de professores para cumprir as exigências do fórum?, disse o secretário Nacional Antidrogas, general Paulo Roberto Uchôa.De acordo com ele, a secretaria discutirá o planejamento de ação contra as drogas para o próximo ano, levando em conta todas as propostas do fórum para a implementação da nova política nacional contra entorpecentes.Os participantes do fórum querem criar mecanismos para identificar traficantes. Uma das sugestões é permitir que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) tenha acesso ao banco de dados da Polícia Federal e da Receita no que diz respeito às variações patrimoniais de pessoas físicas e jurídicas.Eles também pediram para criar um cadastro nacional de contas bancárias para facilitar o rastreamento de traficantes de drogas. Os participantes do encontro também defendem que os planos de saúde garantam o tratamento de dependentes químicos no País.?O dependente não é mais considerado criminoso e sim um doente como qualquer outro?, destacou o secretário Uchôa. Atualmente, a situação do dependente químico é difícil.Se quiser deixar o vício, deve procurar atendimento especializado no Sistema Único de Saúde (SUS) ou pagar o tratamento por conta própria. ?Os planos de saúde terão papel fundamental na recuperação dessas pessoas?, disse o general.No Brasil, é consenso entre especialistas no combate às drogas que o usuário merece tratamento médico especializado e não cadeia. Hoje, se alguém é preso com dois cigarros de maconha, pode ser punido com a mesma pena de um traficante flagrado com cem gramas de cocaína.No entanto, com a nova Política Nacional Antidrogas, o governo pretende aplicar a chamada ?Justiça Terapêutica?, na qual o consumidor poderá optar por tratamento médico, sofrer as sanções previstas no Código Penal ou prestar serviços comunitários.Para reduzir a demanda por drogas no País, o governo também vai apoiar o Programa de Redução de Danos, adotado pela primeira vez há sete anos em Santos, São Paulo. Hoje, é praticamente unânime entre especialistas a noção de que bons programas de redução de danos em dependentes de drogas injetáveis ajudam no controle da Aids.Um exemplo é a distribuição de agulhas e seringas descartáveis em cerca de 90 cidades brasileiras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.