Governo quer aprovar reforma política ainda no 1º semestre

O ministro das relações institucionais, Tarso Genro, disse nesta segunda-feira que o governo federal quer aprovar no primeiro semestre de 2007 no Congresso Nacional a reforma política. Ele também afirmou que o Executivo considera oportuno discutir o fim da reeleição.Segundo Tarso Genro, se a reforma política não for feita no primeiro semestre dificilmente será realizada até a disputa pelas prefeituras, em 2008, já que os políticos começam a se preparar no próximo ano para a eleição municipal."Se a reforma não for feita no primeiro semestre da próxima legislatura, dificilmente ela será realizada até as eleições para prefeitos em outubro de 2008", declarou o ministro. "Se depender do governo, o fim da reeleição deve ser discutido. A posição do governo é que é oportuno discutir o fim da reeleição", disse. Segundo o ministro, essa discussão também deveria ser realizada no primeiro semestre de 2007.Tarso Genro discutiu o tema da reforma política durante reunião com o presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, nesta segunda. A OAB tem uma comissão de juristas que estuda a reforma. O ministro disse que o governo federal não pretende conduzir nem pautar a reforma política. Mas que quer discuti-la com os partidos políticos. Segundo Tarso Genro, entre os pontos principais da reforma estão o financiamento público de campanhas e a fidelidade partidária. "O governo não quer pautar o conteúdo dessa reforma. O governo quer colaborar para que criemos uma massa crítica suficientemente forte para que, já na abertura dos trabalhos da próxima legislatura, possamos ter a reforma política encaminhada, a partir da condução dos partidos políticos dentro do Parlamento", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.