Governo promove campanha de teste anti-HIV

A coordenação de Doenças Sexualmente Transmissíveis e Aids (DST/Aids) do Ministério da Saúde vai promover a campanha "Fique Sabendo", para que a população brasileira recorra maisaos testes para detecção do HIV.Segundo estimativa do Ministério da Saúde, 600 milbrasileiros estão infectados pelo vírus. Esta será a primeira campanha de massa para o diagnóstico de HIV promovido pelo governo desde o início da epidemia, na década de 80.Porém, apenas 200 mil pessoas sabem que têm o vírus e, destas, pouco mais de 100 milsão atendidas pelo programa do governo, de distribuição gratuita do coquetelantiretroviral, que combate a evolução do vírus no organismo e em portadores que aindanão desenvolveram a síndrome de imunodeficiência humana.Se a campanha chegar ao objetivo desejado, que é promover um número maior de testes, o Ministério da Saúde deverá aumentar as compras do produto para abastecer os centros médicos do SUS espalhados em todo o País. A assessoria de imprensa do DST/Aids afirma que os laboratórios do governo não produzem os testes. Eles serão adquiridos de laboratórios particulares cujos nomes não foram revelados pela DST/Aids.Até agora, a DST/Aids acreditava que a população não estava madura para fazer o teste compulsoriamente. O preconceito contra os infectados, porém, foi caindo à medida que eles conquistaram seus direitos. Além disso, hoje a Aids não é mais uma sentença de morte, já que há solução para prolongar a sobrevida dos pacientes,como o coquetel anti-HIV.Informações sobre a campanha, o atendimento gratuito para os testes e outras informações podemser obtidas pelo telefone grátis 0800-611997 e o site de informações específicas éwww.aids.gov.br.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.