Governo prepara aumento real do salário mínimo

Com as eleições se aproximando e a popularidade do governo Lula dando os primeiros sinais de desgaste, os operadores políticos do Palácio do Planalto estão tentando antecipar uma notícia positiva: um aumento real para o salário mínimo que vai vigorar a partir de maio. É certo, segundo fonte do governo, que o mínimo terá neste ano um reajuste acima dos 7,29% de inflação projetados para o período no Orçamento da União.De acordo com os técnicos do Congresso, o governo já teria embutido intencionalmente uma sobra de R$ 3,6 bilhões nas despesas da Previdência, o que permitiria elevar o salário de R$ 240 para perto de R$ 280 em 1º de maio. Mas o reconhecimento no final do ano passado de um passivo com os aposentados do INSS no valor de R$ 8,5 bilhões, por causa dos planos econômicos, levou o governo a ter mais cautela no assunto. Apenas o fluxo de revisão dos benefícios custaria, segundo cálculos atualizados do Ministério da Previdência, cerca de R$ 2,59 bilhões por ano, o que praticamente inviabilizaria um aumento maior para o mínimo.Interrompida no final do ano passado por causa das reformas, a discussão sobre o reajuste do mínimo está sendo reaberta agora na cúpula do governo e será levada em breve ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A idéia é tomar uma decisão final até o início de março, mas a programação financeira que será divulgada hoje pelo Planejamento evitará uma menção explícita ao assunto para não gerar ainda expectativas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.