Governo precisa reverter 3 votos do PMDB para taxar inativos

O governo espera contar com no mínimo 34 votos em favor da taxação dos servidores inativos, na Comissão de Constituição e Justiça. A informação é do deputado Professor Luizinho (PT-SP). Na avaliação preliminar feita hoje pela manhã entre o ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, o líder do governo na Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e vice-líderes governistas, a conclusão foi que o governo conseguirá aprovar a proposta, mas tentará ainda reverter três dos oito votos da bancada do PMDB, seu mais novo aliado, na CCJ. Para isso, os vice-líderes devem entrar em contato com o governador Germano Rigotto (RS), já que dois deputados do PMDB, José Sartori e Mendes Ribeiro, ambos do PMDB gaúcho, insistem votar contra a taxação dos inativos, além do deputado Michel Temer, que é outro peemedebista. Na reunião, o ministro José Dirceu deixou claro a orientação no sentido de que todo parlamentar da base governista terá que votar a favor da taxação. Os vice-líderes já procuraram o líder do PMDB na Câmara, Eunício Oliveira (CE), e à tarde devem ter uma conversa com o líder do PDT, Neiva Moreira. Na votação da reforma tributária na CCJ, os dois representantes do PDT se ausentaram.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.