Agência Estado
Agência Estado

Governo precisa e quer a aliança com o PMDB, diz Mercadante

Segundo senador petista, aliança com peemedebistas foi ressaltada pelo presidente Lula em jantar na quinta

O Estado de S. Paulo e Agência Estado,

03 de julho de 2009 | 11h00

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou, em jantar com senadores petistas na quinta-feira, que o governo precisa e quer a aliança com o PMDB. Lula disse não concordar com a proposta do PT de licença temporária para o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), por conta da crise política gerada por irregularidades na Casa. O relato do encontro foi feito nesta sexta pelo líder do PT no Senado, Aloizio Mercadante (SP).

 

Veja também:

especialESPECIAL MULTIMÍDIA: Entenda os atos secretos e confira as análises

trailer Galeria: vista aérea da casa particular de José Sarney na Península dos Ministros 

lista Confira a lista dos 663 atos secretos do Senado

documento Leia a íntegra da defesa do presidente do Senado

lista O ESTADO DE S. PAULO: Senado acumula mais de 300 atos secretos

lista O ESTADO DE S. PAULO: Neto de Sarney agencia crédito no Senado 

 

No jantar, que terminou a 1 hora da madrugada, os senadores petistas disseram ao presidente que consideravam um gesto de grandeza o afastamento temporário de Sarney, para diminuir a tensão do ambiente político e permitir o aprofundamento das investigações, por uma comissão suprapartidária.

 

Segundo Mercadante, Lula disse à bancada que considera grave a crise no Senado; defendeu apurações com rigor e disse que continuará defendendo o Senado, porque não interessa à democracia e ao País um parlamento fragilizado. "O presidente não concorda com a licença temporária de Sarney e considera que com uma licença, dificilmente Sarney voltará à presidência do Senado e que esse processo vai gerar uma crise política e profunda e um quadro de instabilidade", afirmou Mercadante.

 

O líder petista disse ainda que o presidente considerou que a oposição tem interesse de aprofundar a crise, controlar o Senado, e que o impasse não é bom no atual cenário da crise econômica internacional. "Mais uma vez o presidente reafirmou que é questão de Estado a governabilidade e que o governo precisa e quer a aliança com o PMDB", afirmou Mercadante.

 

Mercadante disse que na próxima semana a bancada voltará a se reunir para uma nova avaliação do quadro político.

 

Presidência

 

Um dos principais argumentos que Lula usou no jantar foi sua própria experiência na presidência da República. "Se a cada momento que tivesse algo em meu governo, eu tivesse que me licenciar, ficaria muito difícil a governabilidade", disse Lula, segundo relato do senador Eduardo Suplicy (PT-SP).

 

O senador, que participou do jantar, informou que Lula também ponderou que o mais importante é que se faça a apuração das denúncias envolvendo o Senado e seu presidente porque a instituição precisa ser fortalecida. Lula sugeriu que os senadores fizessem um movimento para regularizar a administração da Casa e tornar mais transparente todas as ações dos senadores.

 

Suplicy acrescentou que também é importante que o Conselho de Ética, que até agora não foi instalado, seja constituído rapidamente. Ele é o indicado do PT para representar o partido no conselho.

 

O presidente se reuniria com Sarney nesta sexta às 11h30, no Centro Cultural do Banco do Brasil (CCBB), de acordo com o porta-voz da Presidência da República, Marcelo Baumbach. Os dois conversarão sobre a crise no Senado.

 

Casa

 

Mercadante evitou comentar reportagem publicada nesta sexta pelo Estado que afirma que Sarney omitiu em sua declaração de bens à Justiça Eleitoral, uma casa avaliada em torno de R$ 4 milhões. "Vamos aguardar mais informações para ter segurança, antes de uma manifestação. A questão não me parece clara, e não ouvi o contraditório", disse Mercadante.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.