Governo poderá custear remédios para hipertensão e diabetes

O governo deverá enviar até o fim do ano para o Congresso Nacional um projeto para reduzir em até 50% o preço de medicamentos para hipertensão e diabetes nas farmácias particulares. A proposta, que integra o Programa Farmácia Popular, prevê que o governo subsidie o tratamento feito com 10 princípios ativos, usados no preparo de 60 remédios para o tratamento das duas doenças, incluindo insulina.Pelo projeto, em análise na Presidência da República, medicamentos com desconto seriam vendidos em farmácias credenciadas. Para comprá-los, pacientes terão de apresentar uma receita médica específica, feita exclusivamente para este programa.O Ministério da Saúde deve arcar com parte do pagamento. Pelas estimativas do ministério, para o primeiro ano do programa, o governo terá de desembolsar R$ 150 milhões, o suficiente para subsidiar o tratamento de 3 milhões de pacientes hipertensos e 1 milhão de pacientes diabéticos.O coordenador do Programa Farmácia Popular, Dirceu Barbano, afirmou que o pagamento das farmácias será feito por meio da rede de bancos oficiais. "Pelo projeto, vamos estabelecer um valor de referência para os produtos, que terá de ser respeitado".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.