Governo oferece o aumento "máximo" para os servidores

O Ministério do Planejamento divulgou hoje uma nova proposta de reajuste para os servidores públicos que, segundo o ministro Guido Mantega, é "o máximo que o governo pode oferecer". Os reajustes, que variam de 9,5% a 32,07%, vão consumir, além do R$ 1,5 bilhão já previsto no Orçamento, uma quantia adicional entre R$ 300 milhões e R$ 500 milhões. O ministro informou que a verba adicional sairá do excesso de arrecadação ou do corte de outras dotações orçamentárias. Os servidores e o governo se reúnem para debater a questão no dia 20. Deverão ser beneficiados 905.848 servidores. Para os servidor es que fazem parte dos Planos de Classificação de Cargos (PCC), o reajuste varia de 12,85% a 32,07% para os da ativa e de 9,94% a 19,89% para os aposentados. Para os servidores da área de seguridade social os aumentos variam de 13,91% a 32,27% (ativos) e de 10% a 19,90% (inativos). Os servidores da Previdência terão reajuste de 13,68% até 27,17% (ativos) e de 10,26% a 19,82% (inativos). Funcionários das instituições de ensino terão aumento de 14,05% a 29,38% (ativos) e de 14,05% a 29,38% (inativos). Docentes terão aumento de 13,23% a 27,37% (ativos) e de 9,5% a 20,07% (inativos).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.