Governo nunca acusou ninguém indevidamente, diz FHC

O presidente Fernando Henrique Cardoso afirmou hoje, em discurso no primeiro Encontro Nacional da Advocacia Geral da União, que seu governo nunca acusou ninguém indevidamente, nem protegeu quem quer fosse. "O governo nunca procurou apontar o dedo para acusar indevidamente nem obscurecer ou proteger quem quer que fosse, sempre recorrendo à lei e à justiça", afirmou o presidente. Fernando Henrique lembrou que, em todos os casos, a investigação prevalece sempre, evitando que o arbítrio se sobreponha à lei. O presidente iniciou seu discurso ressaltando que nunca um governo se dedicou tanto ao combate a corrupção como o dele. "Talvez nunca em nossa história tenha havido esforço tão consistente e persistente de combate à corrupção. Às vezes, eu vejo tanta gente, alguns dos quais nem tem títulos para falar sobre corrupção, para criticar o governo, como se o governo não estivesse se mobilizando, como nunca aconteceu em nossa história, em cooperação estreita com os vários poderes para que houvesse uma nova visão de probidade administrativa", afirmou ele, evitando citar nomes. Fernando Henrique ressaltou a criação da ouvidoria e da Corregedoria Geral da União, da adoção de várias decisões normativas para o combate à corrupção e da abertura de todas as contas do governo. "Onde houve denúncia, elas foram apuradas e, por exemplo, foram mudados órgãos inteiros tal era o grau de podridão", contou. O presidente elogiou ainda o atual Advogado Geral da União e a criação pela Constituição em vigor da AGU e da Procuradoria Geral da União.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.