Nomeado por Dilma, novo diretor do Dnocs foi indicado pelo PP

Partido está negociando mais espaço no governo federal em troca de apoio contra o impeachment; Antonio Iran Costa Magalhães ocupa lugar de Walter Gomes de Souza, que era ligado ao PMDB

Igor Gadelha e Luci Ribeiro, O Estado de S. Paulo

05 de abril de 2016 | 08h51

BRASÍLIA - Nomeado pela presidente Dilma Rousseff nesta terça-feira, 5, o novo diretor-geral do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas (Dnocs), Antonio Iran Costa Magalhães, foi indicado pelo PP, partido do chamado "centrão" da base aliada e que está negociando mais espaço no governo federal em troca de apoio à petista contra o impeachment. Engenheiro civil de formação, Magalhães é cearense e ligado ao deputado Macedo (CE), recém-filiado ao PP, após deixar o PSL.

Magalhães ocupará o lugar de Walter Gomes de Souza, que era indicado pelo PMDB e foi exonerado na semana passada, após o partido anunciar o desembarque oficial do governo Dilma. A nomeação do indicado pelo PP foi publicada na edição desta terça-feira do Diário Oficial da União (DOU).

Como vem mostrando o Broadcast Político, o serviço de informações da Agência Estado, o PP está negociando um ministério "com orçamento" para permanecer oficialmente na base aliada e fazer com que a maioria de sua bancada na Câmara vote contra o impeachment, entre eles a Saúde e Educação, ocupadas atualmente por PMDB e PT, respectivamente. O presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), informou, contudo, que a legenda só deve assumir alguma pasta depois de concluída a votação do impedimento de Dilma pela Câmara.

PMDB fora do governo. O Diário Oficial desta terça ainda traz a exoneração, a pedido, de Caio Tibério Dornelles da Rocha do cargo de secretário do Produtor Rural e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Conforme o Broadcast antecipou semana passada, Caio Rocha é filiado ao PMDB e ligado ao vice-presidente da República, Michel Temer, e ao ex-ministro Eliseu Padilha. Rocha entregou sua carta de demissão à titular do Ministério, Kátia Abreu, na última sexta-feira, 1º.

Ainda foram publicadas exonerações no Ministério do Turismo, que estava sob o comando do peemedebista Henrique Eduardo Alves, primeiro ministro do partido a deixar o governo depois do rompimento com o governo. Foram exonerados da pasta Neusvaldo Ferreira Lima, do cargo de secretário nacional de Estruturação do Turismo; Raimundo Coimbra Júnior, do cargo de secretário nacional de Qualificação e Promoção do Turismo; e Ana Paula de Magalhães Albuquerque Lima, esta a pedido, do cargo de chefe de gabinete do ministro de Estado do Turismo.

O Diário Oficial de hoje também traz a nomeação de Haroldo Alberto de Matos Pereira para diretor de Gestão Administrativa do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM), órgão ligado ao Ministério de Minas Energia (MME), e a nomeação de Luiz Fernando Garcia da Silva para secretário de Políticas Portuárias da Secretaria de Portos da Presidência da República (SEP). Tanto o MME quanto a SEP ainda continuam sob o comando do PMDB.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.