Governo negocia com ruralistas para votar a MP da Seca

O governo tenta apagar um foco de resistência entre os ruralistas para votar a medida provisória 565, apelidada de MP da Seca, no plenário da Câmara nesta terça-feira. Representantes do Ministério da Fazenda se reuniram com aliados na Câmara, e discutiram a MP. O texto negociado com o governo durante as discussões na comissão especial da MP no Congresso prevê a renegociação no limite de R$ 200 mil de dívidas para os produtores que tomaram empréstimos no valor inicial de até R$ 100 mil.

DENISE MADUEÑO, Agência Estado

21 de agosto de 2012 | 15h37

Os ruralistas querem retirar esse limite, ampliando os beneficiários com as regras mais facilitadas de pagamento previstas na renegociação. "Sem esse valor (R$ 200 mil), o céu é o limite", afirmou o vice-líder do governo José Guimarães (PT-CE). O vice-líder afirmou que o texto como está atinge 98% dos produtores endividados em um total de 231 mil contratos. O custo dessa renegociação para os cofres do governo, segundo Guimarães, será de R$ 2,6 bilhões. A medida provisória prevê a renegociação de dívidas dos produtores agrícolas com perdas provocadas por problemas climáticos. Ela beneficia os produtores com contratos firmados até 30 de dezembro de 2006, inadimplentes até a data de 30 de junho deste ano.

A MP 565 perderá a validade no dia 5 de setembro, caso não seja aprovada pela Câmara e pelo Senado. Em ritmo de recesso branco por causa das eleições, os deputados terão esta semana de esforço concentrado para votação e, os senadores, a próxima.

Tudo o que sabemos sobre:
CâmaravotaçõesMPsFazenda

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.