Governo não vota mais nada, diz Virgílio

O líder do governo no Congresso, deputado Artur Virgílio (PSDB-AM), afirmou há pouco que o governo não votará mais nenhuma matéria até o dia das eleições da presidência da Câmara e Senado, marcada para 14 de fevereiro. "Estou recomendando aos líderes da base que não votem mais nada, nem sessão de homenagem", afirmou. O deputado frisou que o ambiente está "irrazoável" com as divergências que surgiram na base aliada e afirmou que prefere correr o risco de desgaste junto à opinião pública, por estar havendo uma convocação extraordinária sem votações, a correr o risco de aprovar medida que vá contra a economia brasileira. "Não dá para trocar o mal menor pelo maior", disse. Afirmou ainda que está assumindo pessoalmente esta decisão em nome do governo. "Qualquer crítica deve ser dirigida a mim e a mais ninguém da base". Apesar da decisão do governo, foi iniciada há pouco a sessão do Congresso em que estava prevista a votação de medidas provisórias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.