MARCIO RIBEIRO
MARCIO RIBEIRO

Governo não vai mudar diretor da PF, diz ministro da Justiça

Alexandre de Moraes afirmou que cargo, ocupado por Leandro Daiello desde 2011, 'está preenchido, por um belíssimo e competente profissional'

Isadora Peron / Brasília, O Estado de S. Paulo

06 de junho de 2016 | 22h47

O ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, afirmou nesta segunda-feira, 6, que o governo não tem intenção de substituir o diretor-geral da Polícia Federal, Leandro Daiello. “Obviamente não se discute nomeação quando o cargo não está vago. O cargo está preenchido, por um belíssimo e competente profissional”, disse.

Na semana passada, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) elegeu uma lista tríplice para levar ao presidente em exercício Michel Temer. A Associação quer que o peemedebista escolha um dos nomes para assumir a direção-geral da PF, cargo ocupado por Daiello desde 2011.

A delegada Erika Mialik Marena, que integra a força-tarefa da Operação Lava Jato em Curitiba, foi eleita em primeiro lugar, com 1065 votos. Ela é considerada uma delegada linha dura, que não deixaria a investigação sobre o esquema de corrupção da Petrobrás esmorecer. 

Também integram a lista tríplice o delegado Rodrigo de Melo Teixeira, que ficou em segundo lugar, com 924 votos, e em terceiro, Marcelo Eduardo Freitas, com 685. Ambos atuam na PF em Minas Gerais.

A indicação do chefe da PF por lista tríplice é uma das bandeiras dos delegados federais. Para eles o modelo de escolha contribui para o fortalecimento da instituição, meta prevista em uma Proposta de Emenda Constitucional que prevê autonomia à PF.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.