Governo não tem posição sobre abertura dos aquivos do Exército

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse que o governo ainda não tem posição a respeito da decisão da Justiça de mandar o Exército abrir seus arquivos sobre o Regime Militar (1964 a 1885) para as famílias de mortos e desaparecidos na guerrilha do Araguaia. "O governo, quando tiver uma posição, vai anunciá-la", afirmou. "Só posso dizer que as notícias sobre a posição do governo são de responsabilidade dos jornais, e não do governo", disse, sobre as informações veiculadas na imprensa segundo as quais o governo estaria informando que não há arquivos sobre a guerrilha no Araguaia. Dirceu negou que o governo tenha dificuldade em lidar com esse assunto e que haja resistência por parte das Forças Armadas. Irônico, ele disse que só quem pode afirmar que os militares estariam colocando empecilhos é um serviço de inteligência. "Nós estamos dentro do prazo legal estabelecido pela Justiça, e o presidente da República tomará uma posição", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.