Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Governo não retira proposta de reforma para atender servidor

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse que o governo não vai retirar a proposta de reforma da Previdência para atender os servidores públicos que entraram hoje em greve. "O presidente Lula reiterou que qualquer mudança na reforma da Previdência depende do Congresso. E do ponto de vista do governo (a reforma) deve ser estendida a todos os servidores públicos", disse o ministro, ao chegar para o almoço com o comandante da Aeronáutica. (Veja o índice de notícias sobre a greve.)Dirceu ressaltou que os servidores devem negociar a reforma da Previdência com o relator da proposta e os líderes da base aliada. Para o ministro, existe uma possibilidade de entendimento entre as partes. O ministro disse ainda que vai esperar até amanhã para fazer uma avaliação do movimento do s servidores. "A greve é um direito dos trabalhadores, dentro da lei. Evidentemente assumindo também as conseqüências administrativas", disse. Ao ser indagado sobre quais seriam essas conseqüências, o ministro voltou atrás. Ele disse que não falou em conseqüências, mas em direitos e ônus da greve. Ele reclamou que os servidores não querem uma negociação, mas sim retirar a proposta da Câmara. "Isso não é possível e o governo não o fará", acrescentou Dirceu, argumentando que a proposta não será retirada porque ela tem o apoio da maioria da sociedade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.