Governo não prevê temporada de votações

Depois da renúncia do senador Antonio Carlos Magalhães, a expectativa do governo é de que o clima no Congresso volte à normalidade. Mas isso não significa que haverá uma grande "temporada de votações". A maior dificuldade continua sendo a votação da emenda constitucional que limita a edição de medidas provisórias pelo presidente da República. Apesar de ter sido colocada na pauta desta semana pelo presidente da Câmara, deputado Aécio Neves (PSDB-MG), a emenda poderá não ser votada por falta de um acordo entre o governo e a oposição.O Planalto só admite votar a matéria caso não haja a proibição de edição de MPs sobre temas alterados por reforma constitucional, como prevê o artigo 246 das disposições transitórias da Constituição. Esta é a imposição feita pelos partidos de oposição para votar a matéria. Mas o governo argumenta que esse artigo dificultará as ações do Executivo. O tema está emperrado na Câmara há quase dois anos e foi uma das promessas de campanha de Aécio Neves para a presidência da Casa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.