Governo não precisa de campanha, diz Alckmin

O governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou hoje que, se for confirmada sua candidatura à reeleição, ele não pretende fazer campanha. Mais uma vez, Alckmin sinalizou que vai permanecer no governo. "É da lógica da reeleição que as pessoas disputem no cargo. Já imaginou o Bill Clinton pedir afastamento?", indagou, depois de participar da assinatura de um convênio para tratamento oftalmológico de idosos em São Miguel Paulista, na zona leste da capital. "Essa é uma questão (permanecer no cargo ou se afastar) a ser analisada no momento oportuno, até porque quem vai decidir quem é o candidato será o partido. Quem é governo não precisa fazer campanha nenhuma. Quem é governo, é governo. Quem achar que o governo está indo bem, mantenha o governo. Quem achar que não está, troca."Alckmin rebateu as acusações da prefeita Marta Suplicy (PT) em relação à atuação do Estado no combate às enchentes. "O governo está fazendo a sua parte", declarou, lembrando que o Executivo já construiu oito piscinões, nos rios Pirajussara e Tamanduateí. Outros cinco estão em obras e dois em fase de licitação. Segundo o governador, o Plano de Macrodrenagem prevê que o Estado atue sobre os rios maiores, que passam por mais de um município. "O governo Pitta e o governo Maluf fizeram piscinões. Cada um tem de fazer a sua parte", declarou, alegando querer evitar o "jogo de empurra" com a Prefeitura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.