Governo não pode abrir mão da CPMF, diz Cabral

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva ganhou hoje o apoio tanto do governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), quanto do prefeito de Niterói, Godofredo Pinto (PT), para a manutenção da cobrança da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF). "Esta é uma questão que está acima do Lula, do Mané, do Joaquim. O governo não pode se dar ao luxo de abrir mão de uma receita de R$ 35 bilhões anuais", disse Cabral.O governador do Rio afirmou ainda que "não é prazeroso para ninguém defender a cobrança de impostos, mas neste caso torna-se imperativo fazer isso". "Principalmente pelo fato de esta tributação permitir o controle das transações financeiras", comentou. O governador ainda afirmou, em solenidade em Niterói, que "não dá para brincar com a economia brasileira, porque toda vez que se brinca, a elite dá um jeito, mas quem paga o pato é o povo brasileiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.