Governo não monta 'tropa de choque' para CPI, diz Múcio

Ministro diz que as lideranças governistas que vão atuar na CPI irão mostrar à sociedade o papel da estatal

Leonencio Nossa e Tânia Monteiro, da Agência Estado,

19 de maio de 2009 | 14h37

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio, disse no início desta tarde que o governo não está montando "uma tropa de choque" para se defender na CPI da Petrobras no Senado. Em entrevista no Centro Cultural do Banco do Brasil, onde discutiu nomes para a relatoria e a presidência da Comissão com aliados, ele afirmou que as lideranças governistas que vão atuar na CPI irão mostrar à sociedade o papel da Petrobras. "Não é uma tropa de choque, pois não precisa defender o governo. O governo está tranquilo e a Petrobras está tranquila. É preciso mostrar à sociedade o que é a Petrobras e a política de royalties", afirmou.

 

Veja também:

link'Será uma CPI de defesa da Petrobras', diz líder do PSDB

linkBase descuida e oposição cria CPI da Petrobras

link MP pede investigação à manobra contábil da Petrobras

especialVeja o que será apurado pela CPI da Petrobras

Múcio disse que a oposição desempenha seu papel ao tentar levantar irregularidades na estatal. "O Brasil está crescendo, o presidente Lula está com alta popularidade e (oposição) tem de aparecer de alguma forma", afirmou, ao acrescentar que "essa CPI tem a chance de permitir que a sociedade conheça melhor a Petrobras".

Mais conteúdo sobre:
CPI da PetrobrasMúcio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.