Governo não endossa proposta sobre reforma sindical

A Proposta de Emenda Constitucional (PEC) apresentada pelo deputado federal Vicente Paulo da Silva, o Vicentinho (PT-SP), que estabelece o fim do imposto sindical e da unicidade sindical (representação de cada categoria por seu próprio sindicato) é uma iniciativa pessoal do parlamentar e não faz parte do conjunto de medidas do governo federal no âmbito da reforma trabalhista. O esclarecimento foi dado pelo ministro Tarso Genro, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Social. "A iniciativa partiu do próprio deputado Vicentinho e não é uma proposta trabalhada no âmbito da reforma trabalhista desejada pelo governo", disse, ao ser inquirido por lideranças sindicais em encontro na Federação dos Comerciários do Estado de São Paulo (Fecesp). Os sindicalistas manifestaram sua sensação de confusão com tantos fóruns para discutir a reforma: Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES); Fórum Nacional do Trabalho e a proposta do parlamentar na Câmara. "Acho que as lideranças sindicais deveriam procurar o deputado Vicentinho, se consideram que sua proposta está fora de tom, e pedir para que ele recue, que esse não é o fórum ideal para discutir as reformas", disse."O governo vai apresentar as reformas após discutir com a sociedade e o deputado terá que decidir se vai se enquadrar ou não com o projeto do governo", adicionou, ao insistir que a iniciativa de Vicentinho, enquanto parlamentar, é absolutamente legítima.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.