Governo não editará MPs até votar Orçamento, diz Múcio

Membros do governo e Dilma pressionam para que o presidente Lula edite uma enxurrada de medidas

DENISE MADUEÑO, Agencia Estado

06 de março de 2008 | 17h34

O ministro de Relações Institucionais, José Múcio Monteiro, afirmou nesta quinta-feira, 6,  que o governo espera que o Congresso vote a proposta de Orçamento da União na próxima quarta-feira. Até lá, o presidente não deverá editar medidas provisórias (MPs) para suprir a lacuna do Orçamento de 2008. Há pressões no governo, principalmente da ministra da Casa Civil, Dilma Roussef, para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva edite uma "enxurrada" de MPs. "Nós não podemos, por conta de não ter encontrado um ponto em comum, paralisar o País", disse Múcio. O ministro disse que na terça-feira o Conselho Político do governo vai se reunir para tomar uma posição. "Esperamos que até lá encontrem um consenso", afirmou. O Congresso deveria ter votado a proposta orçamentária em dezembro do ano passado. O presidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT-SP), disse que as divergências quanto ao Orçamento não se limitam à disputa entre governo e oposição, mas também a divergências na própria base. "A cada dia surge uma novidade. Está na hora de acabar com a surpresa", afirmou Chinaglia.Acompanhado por integrantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social, José Múcio esteve reunido com Chinaglia para entregar o parecer elaborado pelo conselho sobre a proposta de reforma tributária. O conselho deu aval ao projeto do governo, mesmo com algumas críticas que foram feitas durante a avaliação de que a proposta não sinaliza para a redução da carga tributária. Antes do presidente da Câmara, o grupo entregou o documento ao presidente do Senado, Garibaldi Alves Filho (PMDB-RN).

Tudo o que sabemos sobre:
impasse

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.