Governo não cogita alterar valor do mínimo, diz Rebelo

O governo não cogita na possibilidade de alterar o valor do salário mínimo, fixado em R$ 260,00, mesmo diante de uma eventual derrota da proposta, no Congresso Nacional. A afirmação é do ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, depois de participar de reunião do grupo de coordenação com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio da Alvorada. Rebelo disse estar seguro de que o mínimo de R$ 260 será aprovado no Congresso, porque a unidade da base governista sempre foi obtida.Durante a reunião de hoje, segundo Rebelo, o governo reafirmou o compromisso de apresentar uma proposta de política permanente de recomposição do valor do mínimo para sinalizar aos partidos e à sociedade como o governo tratará o salário mínimo no futuro. Com relação a possibilidade de o presidente Lula conduzir daqui para a frente as negociações sobre o valor do mínimo no Congresso, Rebelo disse que se houver necessidade, o governo poderá fazê-lo. Ele lembrou, no entanto, que a negociação está sendo conduzida pelos líderes da Câmara e do Senado, e pelo coordenador político (que é ele), auxiliado pelos ministros que integram os partidos da base. Tabela do IRSobre a correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física, Rebelo disse que o governo não tem uma proposta e que o Ministério da Fazenda e a Secretaria da Receita Federal estão examinando alternativas possíveis para serem examinadas.Ainda durante a reunião de hoje, segundo Rebelo, o presidente Lula fez um balanço da viagem à China e aproveitou para falar da convocação da reunião ministerial para sexta-feira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.