Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Governo não aprova a CPMF, quem aprova é o Congresso, diz Dilma

Presidente voltou a dizer que tributo é provisório e que não está tomando medidas de ajuste porque quer, mas para que País saia da situação de restrição fiscal o mais rápido possível

Álvaro Campos e Gabriela Lara, O Estado de S. Paulo

15 de setembro de 2015 | 13h41

SÃO PAULO E BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff falou, nesta terça-feira, 15, sobre a proposta de retorno da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), que consta do pacote de aumento de impostos e cortes de gastos anunciado ontem pela equipe econômica. Segundo Dilma, o tributo - que ela chamou de CPPrev - é para financiar a Previdência, que sofre uma queda cíclica quando diminui a atividade econômica.

"O governo não aprova a CPMF, quem aprova é o Congresso. Nos empenharemos bastante para aprovar as medidas no Congresso", comentou Dilma em rápida entrevista coletiva após cerimônia de entrega do prêmio Jovem Cientista, em Brasília. A presidente ressaltou que o governo não está tomando essas medidas porque quer, mas sim porque é fundamental sair da situação de restrição fiscal o mais rápido possível, para que o País possa voltar a crescer.

Tudo o que sabemos sobre:
CPMFDilmapacote fiscalCongresso

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.