Governo não abre mão dos aliados para aprovar previdência, diz Genoino

O presidente do PT, deputado José Genoino (SP), disse que o governo Lula não abre mão do apoio e empenho de todos os partidos da base aliada na reforma previdenciária. O presidente do PT reafirmou que algumas críticas de deputados de partidos aliados à reforma são inaceitáveis. Genoino disse que para o governo federal o limite de isenção na cobrança da contribuição previdenciária dos servidores inativos poderia ser R$ 2.400,00, mas que o governo e o PT vão defender o que ficou acertado entre o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os governadores. "Vamos defender o limite de R$ 1.058,00 com todo mundo colocando a cara. Faz parte de um acordo com os governadores que o Lula bancou, e o PT vai bancar o Lula", afirmou Genoino. Desde ontem, líderes dos partidos governistas afirmam que os governadores devem assumir o ônus de virem a público defender o que foi acertado com o presidente. Segundo os governistas, o limite de R$ 1.058,00 foi incluído na proposta de reforma da Previdência a pedido dos governadores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.