Governo monta operação para ´acalmar´ governadores

O Palácio do Planalto montou uma operação de emergência neste domingo à tarde na tentativa de manter sob seu controle a reunião dos governadores marcada para esta segunda-feira no Hotel Blue Tree, e evitar o confronto entre Estados e União. Governadores aliados foram orientados a virar a pauta da reunião, propondo um debate mais amplo sobre o crescimento econômico que esvazie o movimento pela renegociação das dívidas estaduais e pela ampliação das compensações aos Estados exportadores. A estratégia foi discutida na casa do ministro da Coordenação Política, Aldo Rebelo, com a presença dos governadores do Acre, Jorge Viana (PT), do Piauí, Wellington Dias (PT), e o do Amazonas, Eduardo Braga (PSB), além dos ministros da Casa Civil, José Dirceu, e o ministro interino da Fazenda, Bernard Appy. Interlocutores do grupo tentaram amenizar as cobranças de governadores da oposição. "Nós não estamos nos reunindo para fazer um contencioso, mas para fazer a boa luta de como o País acelera o seu crescimento", disse Braga, ressaltando que os governadores têm consciência de que margem de manobra na política econômica é estreita. "Você não vai ver governador propondo de forma incendiária desestabilizar o País", completou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.