Governo mantém blindagem de Palocci na Câmara

Reunião da Comissão de Segurança Pública, na qual a oposição tentaria aprovar requerimento de convocação do ministro da Casa Civil, foi cancelada por falta de quórum

Eugênia Lopes, da Agência Estado

19 de maio de 2011 | 13h32

BRASÍLIA - Sem quórum, o presidente da Comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado da Câmara, deputado Mendonça Prado (DEM-SE), cancelou na manhã desta quinta-feira, 19 a reunião da comissão. A oposição iria tentar aprovar nela um requerimento de convocação de Palocci. Nessa quarta-feira, 18, o governo se mobilizou e conseguiu barrar todas as tentativas de convocação do ministro da Casa Civil nas comissões permanentes e no plenário da Câmara.

Veja também:

linkCoaf: negócio de empresa de Palocci é suspeito

especialNão há inquérito contra Palocci, diz ministro da Justiça

O líder do governo na Câmara, deputado Cândido Vaccarezza (PT-SP), saiu nesta quinta em defesa do ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci. "Não existe nenhum descumprimento da lei por Palocci", disse Vaccarezza. Ele preferiu não comentar a matéria do jornal O Estado de S. Paulo, que revela que o Conselho de Atividades Financeiras (Coaf), vinculado ao Ministério da Fazenda, comunicou à Polícia Federal que a empresa Projeto, de Palocci, fez operação financeira suspeita na compra de imóvel de empresa que estava sob investigação policial.

"Para ter esse tipo de informação é preciso ter quebra de sigilo. Não tenho essa informação. O que interessa ao governo é que o Palocci cumpriu a lei", afirmou Vaccarezza. Para ele, a oposição está "querendo criar problemas" ao tentar convocar Palocci para explicar o aumento de seu patrimônio nos últimos quatro anos. "A oposição não tem ânimo de esclarecimento. Tem ânimo de beligerância", disse o líder.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.