Governo manda inteligência da PF vigiar os sem-terra

A Polícia Federal recebeu instruções do governo para acompanhar com ações de inteligência e dados fornecidos por agentes infiltrados a movimentação dos trabalhadores sem-terra em todo o País. A preocupação é com a marcha em direção a várias capitais, inclusive Brasília, até o próximo sábado, data do 8º aniversário do massacre de Eldorado do Carajás, quando foram mortos 19 trabalhadores em confronto com a polícia do Pará.Na avaliação do governo, as invasões e manifestações são inevitáveis e a PF se limitará a fazer o monitoramento para evitar violência e atos ilegais, como ocupação de prédios públicos e de terras produtivas. Segundo o diretor-geral da PF, Paulo Lacerda, a orientação é não tratar movimentos sociais como caso de polícia.As marchas estão sendo feitas em pelo menos 12 estados, maior parte deles no Nordeste e mobilizam mais de 20 mil manifestantes. O balanço das invasões e as providências que o governo está adotando para solucionar o impasse com os sem-terra foram levadas nesta segunda-feira ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva pelo ministro do Desenvolvimento Agrário, Miguel Rosseto. Com mais quatro invasões hoje subiu para 62 o total de ocupações promovidas em 14 estados. Os acampamentos montados nesses locais reúnem 19 mil famílias, que somam quase 100 mil pessoas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.