Governo lança ofensiva para manter CPMF

Planalto indica para segundo escalão nomes da base aliada; contribuição representa arrecadação de 38 bilhões

06 de agosto de 2007 | 13h07

O governo inicia nesta semana todos os esforços para aprovar a prorrogação até 2011 da CPMF e da Desvinculação das Receitas da União (DRU). Agora que o Planalto começou a atender as indicações dos partidos da base para cargos de segundo escalão, principalmente o PMDB,  o tema tem possibilidade de encaminhamento junto aos parlamentares.   Na semana passada, o líder do governo,  deputado José Múcio Monteiro (PTB), disse que enquanto o presidente Luiz Inácio Lula da Silva estiver fora do País, em viagem ao México e a mais quatro países da América Central , as nomeações serão tocadas pelos ministros Dilma Rousseff (Casa Civil), Walfrido dos Mares Guia (Relações Institucionais), Paulo Bernardo (Planejamento) e Luiz Dulci (Secretaria-Geral).Na última quarta-feira, Lula confirmou a nomeação de Luiz Paulo Conde, ex-prefeito do Rio de Janeiro, indicado pela bancada do PMDB na Câmara dos Deputados, para a presidência de Furnas, dando assim início ao atendimento dos pleitos da base.A contribuição da CPMF representa arrecadação de 38 bilhões de reais em 2008 e a DRU permite maior mobilidade no uso dos recursos do Orçamento. A proposta passará pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), depois segue para uma comissão especial que vai avaliar o mérito e só então vai ao plenário da Câmara, onde passa por duas votações. Depois ainda enfrenta os trâmites do Senado.   Na quarta-feira deve haver um debate sobre o tema com tributaristas e é possível que a votação do texto aconteça na quinta-feira na comissão.   (Com Reuters)

Tudo o que sabemos sobre:
BRASILPOLITICAAGENDA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.