Governo lança disque-denúncia para violência contra brasileiras no exterior

Serviço 24h estará disponível em Portugal, Espanha e Itália para auxiliar vítimas de agressão.

Maurício Moraes, BBC

25 de novembro de 2011 | 05h39

Brasileiras que vivem em Portugal, Espanha e Itália agora poderão fazer denúncias de agressão por telefone. Nesta sexta-feira, o governo federal lança em Brasília a expansão para o exterior do serviço Ligue 180, que desde 2006 fez mais de dois milhões de atendimentos a mulheres vítimas de maus tratos.

Em entrevista à BBC Brasil, a ministra-chefe da Secretaria de Políticas para Mulheres, Iriny Lopes, disse que o alvo do serviço são mulheres que sofrem maus tratos de parceiros, são obrigadas a se prostituir, trabalham em condições precárias ou são "vítimas de organizações criminosas e foram sequestradas".

"Há uma grande incidência de casos desse tipo envolvendo brasileira nesses três países. O projeto é piloto. Vamos consolidar e podemos expandir para outros países", disse a ministra, citando os Estados Unidos como possível local para expansão.

O projeto foi feito em parceria com o Ministério da Justiça e o Itamaraty (Ministério das Relações Exteriores).

O atendimento será feito a partir do Brasil, 24 horas por dia, e as ligações serão gratuitas e confidenciais.

As atendentes repassarão os casos aos consulados, que irão ao encontro das vítimas e poderão acionar as autoridades locais e até a polícia dependendo da situação.

"Há um grande número de brasileiras que são vítimas de companheiros agressivos. Em outros casos, elas têm filhos que possuem apenas a nacionalidade dos países onde vivem (o que acaba prendendo as mulheres ao local). Nós vamos divulgar os números nos consulados, entidades brasileiras, aeroportos", disse Iriny.

Diplomacia

Lançado em 2006, o Ligue 180 já atendeu mais de dois milhões de mulheres em todo do país. São 130 ligações em média a cada dia.

Segundo dados da secretaria, a maior parte das mulheres que entrou em contato com o serviço no Brasil "é parda (46%), tem entre 20 e 40 anos (64%), cursou parte ou todo o ensino fundamental (46%)". Ceca de 40% delas convivem com o agressor há mais de dez anos e 87% das denúncias foram feitas pelas próprias vítimas.

No exterior, "todo o processo de providências vai respeitar os tratados internacionais, as resoluções da ONU e os acordos bilaterais do Brasil com esses países", disse a ministra.

"O Ligue 180 também vai facilitar o atendimento, já que muitas mulheres vivem em cidades distantes dos consulados brasileiros", disse Iriny.

Serviço

Na Espanha, as vítimas de agressão devem ligar para 900 990 055, fazer a opção 3 e, em seguida, informar à atendente o número 61-3799.0180.

Em Portugal, o número é 800 800 550. Deve-se discar a opção 3 e informar o número 61-3799.0180.

Na Itália, as brasileiras podem ligar para o 800 172 211, fazer a opção 3 e então informar o número 61-3799.018. BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.